Gestão e planejamento para reduzir custos empresariais e tomadas de decisões para 2016

A conjuntura econômica tem impulsionando cortes de gastos e redução de investimentos em empresas brasileiras de diferentes portes e setores. Além disso, a carga tributária nacional representa, em média, cerca de 33% do faturamento de uma companhia. Para enfrentar o período de incertezas, é essencial dispor de ferramentas como a gestão contábil e o planejamento tributário.

Controles  e informações contábeis ajudam a analisar o ambiente corporativo e fornecem subsídios para se tomar decisões estratégicas. “É preciso visualizar quais despesas podem ser suprimidas sem afetar o andamento da empresa. Enxugar a equipe nem sempre é a melhor solução, por exemplo, já que os profissionais são o bem mais valioso da empresa”.

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

Nesse período, também é importante rever qual o regime tributário mais adequado para 2016, compreendendo o Lucro Real, o Lucro Presumido ou o Simples Nacional.  Só é possível confirmar se a adesão é vantajosa após um diagnóstico contábil”.

Planejamento tributário é primordial para o empresário reavaliar os seus custos e também para fazer uma avaliação do regime no qual está inserido, principalmente no Brasil, onde a legislação sofre alterações constantes.

O atual cenário econômico do Brasil, com a inflação na casa dos 10% e taxas de juros que chegam a 278% ao ano, indica que 2016 não será um ano fácil.  Decida até 31/01/2016 qual melhor regime tributário.  Após, só pode mudar no ano seguinte.  Veja logo com seu contador os comparativos entre as formas de tributação melhor para sua empresa.

As empresas que mantiverem seus investimentos, prepararem melhor os seus colaboradores e optarem pelo melhor regime, com certeza irão usufruir de alguma forma das oportunidades que virão com a retomada da economia”.

Menu