Usar droga no trabalho dá justa causa

Fonte: TRT/GO – 30/01/2014

 

O Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO) manteve decisão de primeiro grau que reconheceu a dispensa por justa causa de trabalhador que utilizava substância entorpecente no ambiente e no horário de trabalho. A decisão é da Segunda Turma de julgamento, que entendeu que o uso de drogas em ambiente de trabalho constitui falta grave o suficiente para autorizar o rompimento do contrato de trabalho por justa causa.

Na inicial, o funcionário alegou que a empresa fez uma correspondência de dispensa por justa causa sem qualquer prova, além de tê-lo exposto como usuário de drogas na presença de colegas de trabalho. Já a empresa, alega que a dispensa do trabalhador ocorreu porque não era a primeira vez que o trabalhador fazia uso de maconha em ambiente de trabalho e que, inclusive, teria tentado reverter essa situação através de conscientização feita pelo Diálogo Diário de Segurança (DDS).

Conforme depoimento de uma das testemunhas, o  funcionário foi visto no dia da dispensa  enrolando cigarros de maconha. Essa testemunha diz saber disso por conviver com pessoas usuárias e conhecer os gestos quando estão enrolando esse cigarro, além do cheiro.

Outros funcionários dizem que já sentiram o o cheiro da maconha quando passava por ele e que o mesmo faz uso da macunha em diversos dias da semana.

Analisando os autos, o relator, desembargador Daniel Viana, concluiu que restou provado que o trabalhador praticou ato suficientemente grave para ensejar a sua dispensa por justa causa. O magistrado também destacou que não há qualquer prova ou indício de que o reclamante fosse dependente químico, fato que recomendaria tratamento antes de eventual punição.

Dessa forma, a Segunda Turma manteve a dispensa por justa causa, conforme havia decidido o juiz de primeiro grau, e o indeferimento das demais verbas rescisórias pleiteadas na inicial. (Processo: RO-0001237-91.2012.5.18.0141).

Menu