Sabe quanto você trabalha para pagar impostos?

Em 25 de maio comemora-se o Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte com a divulgação de que até o dia 31 de maio o brasileiro trabalha só para pagar impostos.

Impostômetro: carga tributária trava as empresas e contribuintes pessoa física por serem obrigados a trabalhar 151 dias apenas para pagar tributos federais, estaduais e municipais.  Há 20 anos, correspondia a 106 dias, segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

Até final de abril/2015, o Brasil arrecadou R$ 691 bilhões em tributos de acordo com o impostômetro, que representa um entrave para o desenvolvimento do país, prejudicando a população, empresas e micro empresas.

“Esse é um dos principais fatores que motivam o fechamento de negócios e inviabilizam a abertura de novos, além de gerar consequências como dívidas e sonegação de impostos. É preciso encarar todos esses desafios para que as empresas garantam rentabilidade e se mantenham competitivas”.

Como forma de conscientizar sobre a elevada tributação brasileira, a Lei nº 12.325/2010 instituiu 25 de maio como o Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte. Simbolicamente, a entidade aproveita a data para reforçar a necessidade de ações que incentivem o ambiente de negócios no Brasil.

Tanto se falou em reforma tributária, mas não saiu do papel.  Os projetos de lei do pacote anticorrupção serão retirados à urgência constitucional.  Com a maldita corrupção no Brasil, desvio de recursos para seus destinos como saúde, educação, moradia, segurança pública, desemprego, o governo sinaliza que irá buscar mais cobrança de impostos.  Alguns estados e municípios estão falidos e dependendo de recursos do governo federal avizinhando-se perdas de arrecadação por perda de capacidade do comprador, juros altos, desemprego, tendo que está recorrendo a contratação no FMI de empréstimos como antecipação de receitas orçamentária.

O governo  antes de aumentar impostos deveria primeiro cortar na carne custos de 39 ministérios no primeiro escalão, com status de ministros. Governo aplaudiu  “MAIS MÉDICOS” e agora é hora de aplaudir  “MENOS MINISTÉRIOS”.  São tantas secretarias, assessores do assessor, verbas infinitas, cargos comissionados, 25 mil cargos de confiança.  Basta, estamos chegando ao ponto de trabalhar meio ano para o governo e nada vermos de direitos constitucionais.  Chega de vermos o impostômetro arrecadando cada vez mais e os recursos escorrendo pelos ralos da corrupção.

Menu