RFB ALERTA CONTRIBUINTES SOBRE E-MAIL FALSO, NÃO ABRA, É FRAUDE.

Caro contribuinte:  

Sua declaração de imposto de renda entregue em 2016, está com o processamento suspenso em função de divergências entre os dados nela constatados.

Caso não efetue a correção, será gerada uma multa no valor de R$ 4.649,28 (quatro mil, seiscentos e quarenta de nove reais e vinte e oito centavos).
 

Lembramos que muitas das divergências observadas, podem ser solucionadas de imediato por você, contribuinte, pelo formulário de correção abaixo.

Para verificar as irregularidades ou corrigir abra o formulário abaixo:

: Formulario IRSS –  IR 2016

ANEXO Formulario-Pendências-Corrigir.pdf

: PROCESSO Nº :95050205

ANEXO: Formulario-AjusteCorreção.pdf 

 

Este falso e-mail está sendo enviado aos contribuintes com fim de obter os dados para golpe.

 

Hoje mais um médico nos enviou este e-mail mas estava atento e não abriu nem forneceu seus dados pessoais.  Cria uma suspeita de sonegação e envia um formulário para ser preenchido. O e-mail é falso. 

Segundo a Receita Federal, quadrilhas especializadas em crimes pela internet enviam mensagens eletrônicas que servem como meio para os criminosos obterem ilegalmente informações fiscais, bancárias e cadastrais do contribuinte.  

Ao clicarem em links ou baixarem anexos, os usuários têm seus computadores infectados por vírus e programas que permitem o acesso aos dados. Até mesmo um falso site da Receita pode ser acessado inadvertidamente pelo internauta. 

No e-mail que circula atualmente, há a informação de que uma denúncia anônima deu início a uma investigação que constatou vestígios de sonegação fiscal por parte do contribuinte. 

O texto pede para o contribuinte preencher um formulário com o objetivo de colaborar com a investigação e evitar transtornos. O usuário, então, é levado a clicar em um link para ter acesso ao formulário, em um anexo, que deve ser entregue em uma unidade da Receita de sua cidade. Isso permite o acesso do hacker aos dados. 

Para ameaçar o contribuinte, o e-mail diz que, caso o formulário não seja preenchido, poderá haver quebra dos sigilos bancário e telefônico, apreensão de bens e até um pedido de prisão. Uma leitura atenta permite perceber que há erros de pontuação e grafia, como na palavra “medidas”. 

Outros golpes 

O e-mail que circula é apenas um dos conhecidos da Receita, que lista outros, como o que exibe um botão para download do programa da declaração do Imposto de Renda, um que reforça a necessidade de envio de uma declaração retificadora e um que avisa sobre valores residuais de restituições do Imposto de Renda a serem recebidos pelo destinatário. Todos são golpes. 

A Receita esclarece que não manda mensagens via e-mail sem a autorização do contribuinte nem autoriza terceiros a fazê-lo em seu nome. “A única forma de comunicação eletrônica com o contribuinte é por meio do Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC). 

A orientação ao internauta que se deparar com esses e-mails é não responder, não abrir arquivos anexados nem acessar links. Para esclarecer dúvidas ou informações adicionais, os contribuintes podem procurar as unidades da Receita, acessar a página na web ou entrar em contato com o Receitafone (146).” 

O órgão reforça ainda que os golpes não ocorrem apenas pela internet. “Todos os anos, especialmente no período de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, falsários se passam por servidores da Receita Federal tentando extrair dados fiscais e bancários dos contribuintes”, diz. 

“A Receita Federal alerta para a modalidade de golpe também aplicada por meio de correspondências físicas.  

As cartas se intitulam ‘Intimação para regularização de dados cadastrais’, são identificadas com o logotipo e o nome da Receita Federal e pedem que o contribuinte entre em um endereço eletrônico que não pertence ao órgão.  

Tais correspondências são falsas e não são enviadas pela Receita Federal. Em caso de recebimento de uma carta no formato abaixo, apenas a despreze e não acesse o site indicado”, informa.

Menu