REFORMA DA PREVIDÊNCIA ESTÁ NO CONGRESSO, PODE TER ALTERAÇÕES, MAS NÃO NA IDADE MÍNIMA DE 65 ANOS DE IDADE E 49 ANOS DE CONTRIBUIÇÕES PARA APOSENTADORIA INTEGRAL.

A proposta enviada ao Congresso prevê que as pessoas terão de trabalhar mais para alcançar a aposentadoria, além de poder reduzir o valor dos benefícios.  O governo não abre mão da idade mínima de 65 anos para homem e mulher.  Aposentadoria integral só recolhendo por 49 anos.
 
O governo estuda meios para reduzir o rombo, revendo isenções previdenciárias das igrejas, agronegócio e microempresários que não pagam a contribuição previdenciária de seus funcionários.
 
“Essas três isenções somadas totalizam, segundo cálculos do próprio Ministério da Fazenda, algo em torno de R$ 62 bilhões”.
 
“Cada vez mais o número de pessoas que contribui para a Previdência está diminuindo, porque as famílias já não são mais tão numerosas como antes”. 
 
O número de jovens no Brasil diminui e o número de idosos aumenta. Óbvio que essa conta não fecha” , diz. “Então é muito difícil realmente você pensar na reforma sem haver uma alteração na idade mínima”.
 
O governo pretende não incluir os militares na reforma da previdência, sob alegação que não são associados a sindicatos, não fazem greve, não podem ter nenhum tipo de atividade a não ser a militar.
 
O governo pretende aprovar a reforma da presidência no primeiro semestre de 2017.
Menu